quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

2 MESES

No dia 19 de novembro de 2012 conhecemos a criança que viria a ser nossa filha. Fazem 2 meses que nossa vida mudou...para melhor. Hoje somos responsáveis por um serzinho de apenas 5 aninhos de vida, tão frágil e tão forte em alguns momentos, não chora com facilidade, de uns dias pra cá começou a nos chamar de mamãe e papai, ou mamis e papaizinho, adora conversar, ama ser elogiada e ouvir que estamos orgulhosos dela, é curiosa, metida, arteira, inquieta, faz caras e bocas com gestos quando está contando algo que aconteceu, ama os animais e ainda fala fininho com eles, se encanta com coisas simples, grava tudo com uma facilidade que surpreende, nunca disse que não somos seus pais, muito pelo contrário, nos pergunta o que ela é nossa e o que somos dela com uma cara de obviedade, tem um senso de repartir as coisas que eu admiro muito, está se tornando uma criança muito mais carinhosa e amorosa misturado com seu jeitinho todo especial de ser.
Quando algumas pessoas me perguntam como está sendo ser mãe eu muitas vezes fico sem graça e nem sei responder porque tudo o que disser do tipo, ah é legal, é mágico, é maravilhoso, parece que é incompleto, e fico sem graça de falar que é diferente, é engraçado, surpreendente, avassalador, meio chatinho as vezes mas só as vezes. Não mudou tanto assim a minha vida, porque continuo fazendo as mesmas coisas, e essa é uma grande vantagem da adoção tardia, são outras coisas que você precisa de preocupar. Eu ganhei uma companheira pra toda hora, sei lá acho que filha menina sempre quer estar grudada com a mãe e eu adoro isso né, um paparico, quem não gosta afinal?
E é muito gostoso ouvir alguém te chamando de mãe, te pedindo pra fazer uma coisa que ela não consegue fazer, ou fazer uma coisa pra ela te achar especial, como se ser mãe já não fosse né. Mas é gostoso uma coisinha depender de você, te imitar, te beijar, te amar só porque você quis ser mãe dela. Eu sinto uma gratidão nos olhos da minha pequena quando chamo a atenção dela pra alguma coisa e ainda sinto que ela pensa que vai me perder por isso, e claro não acontecerá jamais.
Estamos polindo essa pedra preciosa que veio para nossas vidas. Não é difícil, é repetitivo, é estratégico, nem sempre paciente, mas quando se trata de Maria Eduarda as coisas acontecem numa velocidade que eu posso dizer que já percebí mudanças no seu comportamento, na sua educação, no seu jeito e fico muito feliz mesmo de ver que ela está nos testando a todo momento mas que estamos tirando de letra. E claro não posso deixar de dizer que tenho um companheiro maravilhoso ao meu lado que segura todas as minhas crises, meus estresses e não me deixa cair jamais. Fico muito feliz em saber que estamos ajudando nossa pequena a crescer um ser humano incrível.
Esses dias a minha irmã estava observando a Duda e falou que ficou surpresa com a aceitação da minha mãe com relação a ela. Não que ela seria preconceituosa nem nada, mas foi uma afinidade tão grande que ela teve com a avó que parece de outras vidas.
E digo mais, pode ser mesmo de outras vidas que ela voltou para nos ensinar muita coisa que muita gente adulta não é capaz de aprender, porque essa menina, esse anjo, essa minha filha é abençoada por Deus e especial demais.
Boa Noite!!!!

3 comentários:

  1. Que lindo Lisa... fiquei super emocionada..bju Debora

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir